Apesar de existir na atualidade uma mudança em relação ao que se pensava sobre o que é a terapia, a quem pode ajudar e como, ainda ouvimos muitas afirmativas equivocadas e preconceituosas. Frases como: “terapia é coisa para maluco”; “terapia é para pessoas fracas”, “não tenho problema”, “a terapia mudou a cabeça de fulano”; “a terapia acabou com o casamento de sicrano”, “depois que começou a terapia, ficou pior”; “terapia causa dependência” e etc… Terapia não é um mistério. Independente do modo com que cada abordagem, das muitas que a psicologia oferece, existe um objetivo comum que é o de ajudar a pessoa a se sentir menos ansiosa e melhorar sua autoestima através de autoconhecimento. Terapia pode ser útil para todas as pessoas que buscam se sentir mais seguras para lidar com os problemas do dia-a-dia. O terapeuta não tem poderes mágicos, nem sequer uma capacidade de persuasão que permitam a ele impor sua vontade ao cliente. O terapeuta utiliza seus recursos técnicos para aumentar a capacidade de discriminação do cliente sobre suas vivências subjetivas e suas percepções sobre os outros e o mundo. Vamos fornecer a seguir algumas informações que visam aumentar a familiaridade das pessoas em relação a terapia.

Quando buscar terapia:

-quando precisamos conversar com alguém e não buscamos conselhos, queremos conversar com uma pessoa neutra;

– quando achamos que os conselhos ou apoio dos nossos amigos não são suficientes;

– quando a ansiedade nos impede ou dificulta nos relacionamentos afetivos ou profissionais;

– quando temos insônia ou excesso de sonolência,

– quando temos os chamados “distúrbios neurovegetativos” (tonteiras, diarreias, vômitos, náuseas, mal-estar, cansaço),

– quando não se encontram explicações médicas para seus problemas orgânicos;

– quando sente que tem alguma coisa errada em você ou na sua maneira de viver, mas não sabe dizer o que é;

– quando você se sente no fundo do poço e não vê saída;

– quando você se preocupa o tempo todo, mas não encontra solução;

– quando você não esta conseguindo fazer sozinho;

– quando você não compreende porque você faz tudo certo e as coisas não dão certo

A Gestalt-terapia não tem uma proposta pronta para as pessoas, a ideia é que cada pessoa tire de sua terapia coisas que representem qualidade de vida. A terapia pode ser um benefício real, ajudando as pessoas numa amplitude de problemas tais como depressão, perdas, conflitos conjugais, preocupações pais-filhos ou estresse emocional.

Algumas das razões para se buscar uma terapia:

Estresse emocional: Todos nós, em algum momento de nossas vidas, passamos por situações estressantes como por exemplo perdas financeiras, rompimentos amorosos, dificuldades de relacionamentos, indecisões, sentimentos de impotência diante da vida, etc. Algumas vezes a situação que causa ansiedade é resolvida rapidamente e voltamos a nos sentir seguros e equilibrados. Outras vezes, o estresse se torna duradouro de modo que nos sentimos sugados, sem energia, sem saída. O estresse elevado não permite que vejamos
solução para o problema. E é nesse momento que a terapia pode ser útil para que consigamos encontrar em nós mesmos as respostas que precisamos.

Crescimento pessoal: Você tem a sensação de que você não é a pessoa que gostaria de ser? Você não sabe em que momento de sua vida os seus sonhos e projetos mais autênticos foram abandonados? Você tem a sensação de que sabota as suas conquistas, mas não sabe como? Você às vezes tem a sensação de ter se perdido de você mesmo?  A terapia pode ajuda-lo a aprender mais sobre si mesmo, sobre os outros e a lidar com os obstáculos que o impedem de atingir seus objetivos e de ser a pessoa que você quer ser. A terapia pode ajuda-lo a viver a vida com mais satisfação e harmonia.

Questões de relacionamentos: Sua angústia ou ansiedade pode estar vindo de dificuldades nas relações com cônjuge, pais, filhos ou colegas de trabalho. A terapia pode te auxiliar a compreender a dinâmica do problema e ajuda-lo no desenvolvimento de habilidades que possam melhorar os relacionamentos.

Mecanismos de enfrentamento: A timidez excessiva, comunicação deficiente, falta de assertividade ou uma dificuldade em lidar com a raiva, podem ser verdadeiros tormentos para uma pessoa, pois influenciam diretamente as relações afetivas, sociais e de trabalho. Através do autoconhecimento e do aumento da auto-estima, a terapia pode ajuda-lo a desenvolver recursos e habilidades que podem beneficiar áreas importantes de sua vida.

Perdas: Vivenciar situações de rompimento com pessoas importantes para você (morte ou separação), perdas de coisas significativas em sua vida (emprego, padrão social) ou distanciamento de pessoas ou lugares podem resultar em uma grande dor emocional. A terapia pode ser uma ajuda significativa para lidar com perdas.

Trauma, violência ou abuso: Vítimas de trauma, violência ou abuso (físico, sexual, emocional) podem se sentir tão sobrecarregados por sentimentos de medo, raiva e/ou desamparo que suas habilidades para funcionar de forma efetiva ficam, significativamente, comprometidas. A terapia pode prover um espaço seguro e confidencial no qual você pode discutir questões delicadas e encontrar formas de seguir em frente com sua vida.

Problemas sexuais: Problemas sexuais, insatisfação sexual e disfunções sexuais são questões muito comuns, mas mesmo assim, as pessoas costumam ficar embaraçadas de comentar sobre tais problemas. A terapia pode ajuda-lo a compreender e a superar questões que podem estar comprometendo o funcionamento sexual.

Transtornos ou condições clínicas: Aqueles que experimentam certos transtornos, tais como déficit de atenção, distúrbios alimentares, depressão, grande ansiedade ou sintomas chamados de “de natureza psicológica” podem se beneficiar com um plano de tratamento amplo que inclui terapia e outras formas de tratamento, tais como medicação.

 

Texto de Eliane Farah, 2009